terça-feira, 14 de março de 2017

Não sou quem você precisa


Demorou um pouco para eu ter certeza disso. Essas coisas não aparecem na cabeça do nada e seria injusto concluir algo assim por impulso. Mas eu entendi que não sou quem você precisa. E me dói dizer isso.

Me dói porque eu aprendi a gostar de você. Diferente de chegar na conclusão, gostar de você foi rápido.Você cativa todos ao seu redor e não é difícil sorrisos brotarem nas pessoas quando você está por perto.Passei a te ver de um jeito especial e, pouco a pouco, foi fazendo sentido para mim que você era uma pessoa mais interessante do que eu havia pensado naquelas primeiras horas. Só que eu comecei a perceber também alguns ruídos entre nós.

As coisas passaram a se acertar menos. Vou tentar explicar. Comecei a te sentir inacessível e tudo parecia um empecilho quando a gente combinava algo. Isso quando não era pior: a gente combinar, eu esperar o dia e horas antes você cancelar. Comecei a sentir que na fila de prioridades eu ocupava o último lugar. No começo eu achava que era coisa da minha cabeça, sei lá, que eu estava preocupado demais com algo que era normal, mas na verdade não tinha nada de normal: a gente simplesmente não sincronizava mais.

Eu percebi que a sua vontade era viver coisas nas quais não me cabia. E fiquei preocupado em parecer um problema nos seus desejos. Eu não queria ser um bloqueio na sua agenda e também não queria me sentir encaixado em momentos que você queria viver, tampouco quase que implorar para fazermos algo juntos.
Eu sei que a nossa história nem foi tão longa, mas por isso cheguei nessa conclusão: para eu não sofrer mais e para você se sentir mais livre. Acho que não é o momento de discutir quem está certo ou errado, se a minha sensação era equivocada ou algo do tipo, o fato é que fui me sentindo diferente até concluir que era melhor você seguir seu caminho e eu o meu – apesar de gostar de você.
Nossa fase não é a mesma.

Planejo dias mais calmos pela frente e uma companhia para me ajudar a dividir o peso da rotina e aproveitar os bons momentos, já você, me parece querer se descobrir, aproveitar mais a sua própria vida e aguçar ainda mais o seu espírito aventureiro – algo que admiro, aliás. Em outras palavras, enquanto você parece não saber o que quer, eu tinha certeza que queria você. Por isso eu não sou quem você precisa.

Acho que me distanciar vai ser uma boa saída para nós dois. Pelo menos não vai doer tanto por estar no começo. É nisso que estou me apegando para não me ver apegado ao histórico das nossas conversas.
Não sou quem você precisa e tudo bem. Meu coração tentou me convencer que você é quem eu preciso e ele estava conseguindo; até meu cérebro ponderar e me fazer perceber que eu estava gostando de algo sozinho. A gente decide melhor quando decidimos pelo coração ouvindo o que a cabeça diz.

Está tudo bem, tá? Não há sentimento ruim por aqui. Não vou fazer do tipo que cita lembranças pra gente se comover. O que valeu a pena foi gostar de te mostrar que parte da minha vida, esses tão poucos dias, eu dediquei inteiros para você. De verdade.

Vai ficar tudo bem. Vai sim.

Márcio Rodrigues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...