domingo, 26 de fevereiro de 2017

Olá. Como vai?



Você disse que aqui fora está tudo mal. 

Existe um céu azul. A vida está em perfeito funcionamento. Às vezes cai a chuva. 
Flores enfeitam a paisagem. 
Crianças brincam despreocupadas. 
A terra produz alimento. 
As horas correm em harmonia. 
O mar continua aquecendo a terra. 
Olá como vai? 
A noite se aproxima. O céu acolhe as estrelas. 
O trabalho fechou o expediente. 
A casa nos espera. E você ainda diz que tudo vai mal? 

Meu mundo é cheio de tudo que preciso para viver. 
Não posso negar que há algumas bijuterias desnecessárias. 
Na verdade, queria até pedir desculpas pelo uso excessivo de alguma delas, que por força do hábito utilizo para preencher lacunas absolutamente desimportantes. 

Nesses momentos concordo que sou inteira e a única coisa realmente importante são as pessoas que fazem a minha história. 
É o sol que clareia minhas dúvidas. A chuva que lava minhas lamas. 
O relógio que regula o meu tempo para eu não perder os minutos preciosos com adornos sem importância. 
É o trabalho que ocupa minha mente. 
A casa que, com suas portas e janelas abertas espera a minha chegada. 
Não posso me esquecer de que sou inteira. 

Estou no páreo e sem nenhuma dissimulação, aproveito o sabor do dia e da noite. 
Então, tudo vai bem? 
Sim. Não tenho felicidade pendente. 
De um jeito ou de outro vou colocando os ingredientes mais comuns, mensurando seus significados e vou vivendo. 
E se eu fosse reclamar e apontar o que não vai bem, que há situações pendentes, eu diria sem hesitar que precisamos de gente mais sóbria, bom humor passeando pelas calçadas, menos barulho de discórdia e mais silêncio de reflexão. 

Tudo vai muito bem, exceto as reclamações, a falta de abraços sinceros, a vitrola silenciosa, as pessoas sem casa, sem vida. 
Tudo vai bem, fora o excesso de não, a deslealdade, as reclamações, a falta de amor próprio, comum, abstrato, absoluto, não comedido. 

Eu vou bem, apressado, irritado, raivoso, reclamador, esse vai mal. 
Vou bem. 
Mal é quem não consegue enxergar o dia, toma decisões sem pensar. 
Corre apressado pela vida. 
Esquece-se de viver e aprende a sobreviver. 
Cruza os braços para o afeto. Só enxerga a si próprio. 
Eu estou bem. Ruim é a tristeza de quem não possui sonhos.

Mal são as salas vazias e quartos solitários. 
Está tudo bem, apenas patético, gelado e frio é quem vive antecipadamente a história sem dar oportunidade para a vida. 
De resto, não tenho nada pendente. 
Um pouco de amor. Um sol para brilhar. 
Um dia para viver e uma noite para descansar. 
Eu estou bem.

Ita Portugal

Um comentário:

  1. Poxa que texto lindo...
    Mas tô preocupada com o doc...
    A pirracenta vai dar trabalho.
    ou não???

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...