quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Se eu soubesse voltar...


Se eu soubesse voltar, faria disso um regresso memorável, cheio de tombos certeiros e uma lotação esgotada de ansiedade até que finalmente eu tivesse certeza dos braços que me esperava.

Se eu soubesse voltar, não haveria queixumes por peregrinar no caminho.

Nada seria em vão, se eu soubesse o caminho de volta.

Todas as tramas do amor seriam fichinhas, se eu soubesse regressar.

E mesmo sangrando, não morreria na véspera.

Se eu soubesse o caminho de volta, cumpriria como peregrina todas as promessas para que a história continuasse no exato momento em que foi interrompida.

Se eu soubesse o trajeto, voltaria e que se danasse o beijo que foi outrora perdido.

Haveria tempos para outros tantos que seriam consumados vagarosamente.

Sem planos, sem tramas, sem medo.

Nada seria comportado, comedido, pensado, programado.

E se eu recomeçasse, avistaria os prazeres como oportunidades.

Não viveria mais de escassez, nem de sentimentos, nem de palavras.

Se eu soubesse voltar, nenhum adeus seria consumado.

Ita Portugal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...