terça-feira, 8 de novembro de 2016

Quando alguém é interessante


Quando alguém é interessante a nossa risada fica solta.
A gente passa a se amarrar em mergulhar dentro da pessoa e cada pedacinho mais que conhecemos é um pedacinho excitante.

Quando alguém é interessante a gente se empolga e não para de falar.
A gente entra na madrugada e parece que são três da tarde.
A gente conversa sem saber o que a pessoa vai responder.
A gente consegue falar de qualquer assunto e, quando não existe assunto, a gente inventa.

Quando alguém é interessante é quando esse alguém é ele mesmo e não alguém para nos impressionar, sabe?
É que tem gente que encara um personagem só para chamar a atenção quando, na verdade, o que impressiona mesmo é o quanto esse alguém é real, seus valores e o modo que ele vê a vida.
Alguém interessante é alguém que a gente gosta.
Não precisa ter faculdade, saber a banda do momento, não precisa conhecer o mundo, não precisa falar sete línguas, não precisa ser todas aquelas cópias de pessoas.
Não precisa um monte de coisa.
Alguém interessante é alguém que sabe o que quer da vida, que ouve a música que gosta, que sonha viver o mundo de um jeito próprio, que fala a língua da verdade e que gosta, acima de tudo, de ser alguém especial para alguém.

A gente se interessa (ou deveria) por quem não é interessado unicamente em si mesmo.

Quando alguém é interessante a gente só quer encontrar uma maneira de falar ainda mais com esse alguém. Respondemos escondido no trabalho, vamos ao banheiro para ouvir o áudio no Whatsapp.
Aproveitamos a volta para casa digitando em todos os lugares: caminhando, sentado e até esmagado no metrô digitando com uma mão só.

Quando alguém é interessante a gente não quer que esse alguém perca o interesse na gente também.

Quando alguém é interessante a gente começa e mencionar essa pessoa para os nossos amigos. Confidenciamos para aquele mais próximo: “preciso falar com você sobre alguém”.
A gente se encanta e vem sorriso sem sorrir de canto.
A gente quer saber dos sonhos da pessoa, da rotina dela, do que ela ama e do que odeia.
Tudo é assunto. “Me conta o que comeu hoje”. Tudo é assunto.

Quando alguém é interessante a gente quer saber tudo e tudo ainda é muito pouco.

Mas, afinal, como é alguém interessante?
A primeira coisa é que todos somos, mas muita vezes não mostramos tudo o que somos.
É um monte de coisa, mas é simplesmente alguém de verdade.
Alguém que não usa o recurso da mentira só para nos chamar atenção.
Alguém que até erra e comete algumas gafes, mas é alguém que tem senso de humor para relevar.
Senso de humor conta muito.
É alguém que não te julga e não joga na sua cara as próprias conquistas.
É alguém que vê a vida do jeito que ela é, totalmente imperfeita, mas constrói formas de vivê-la de um jeito mais legal.
É tipo alguém que te explica porque gosta de sopa no calor, sabe?
Alguém interessante não necessariamente é alguém com talentos, que saiba tocar violão, cantar bem ou desenhar.

A maior habilidade de alguém interessante é nos fazer sentir vivos.

Alguém interessante, sobretudo, é alguém que se interessa pela gente também exatamente do jeito que somos.

Alguém interessante é alguém que ouve a gente e diz o que sente.
Não é sobre beleza, nem sobre o dinheiro na carteira, mas é sobre os olhos, aqueles da visão na atenção que nos dá e aqueles do coração que se entra para nós só no tocar da nossa mão.

Será que você não está desperdiçando alguém interessante?

Márcio Rodrigues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...