segunda-feira, 14 de novembro de 2016

O problema é a timidez


Esse é o tipo de coisa que só quem passa sabe como explicar.

Aos olhos de fora, daquele grupo dos bem resolvidos consigo mesmo, é muito fácil apontar o dedo e dizer: “mas é tão fácil: é só falar o que sente”

E o desafio é justamente esse: SÓ falar o que sente.

As coisas não são assim SÓ FALAR O QUE SENTE. Isso é algo muito sério e muito profundo.

Talvez seja esse o problema das relações descartáveis; é tudo muito simples, muito prático e muito mecânico: “é só falar o que sente” até mesmo sem pensar muito, só falar mesmo.

É claro que os tímidos sofrem muito também por levarem a sério demais algo que realmente é simples.

Responder uma mensagem, por exemplo.

O ponto é: só os tímidos sabem como é ser o que são.

Se para você é simples dar uma cantada em alguém, para o tímido é o desafio da vida.

Existe uma divisão entre as pessoas: há aquelas que arriscam tudo em falar com alguém, que inclusive encontram na bebida toda a coragem que não possuem; e há aquelas que guardam tudo dentro do coração que, por sua vez, transborda medo. Sim, medo.

Medo de tocar num assunto que é tão bonito, mas é medo.
Medo de falar que está gostando de alguém e esse alguém não entender.
Medo de ficar constrangido com uma resposta negativa.
Medo de ser mal interpretado.
Medo de arriscar um beijo sem ter certeza que a pessoa quer.

No mundo dos tímidos é muito difícil existir o verbo arriscar.

Esse negócio de tentar sem saber no que vai dar não funciona muito para os tímidos, porque eles param no tentar.

Eles sentem e sentem até demais, sentem tanto que se afogam em tudo o que sentem.

Cheios de sentimentos, dentro dos tímidos só tem vontade de fazer bem também.

Ninguém ESCOLHE ser tímido: “ah nossa, a partir de agora vou falar menos, principalmente se eu tiver a fim de alguém”. Isso não é engraçado.

Muita gente SOFRE TODO DIA O DIA TODO por não conseguir colocar pra fora as coisas que sente. É um processo silencioso e doloroso.

E a timidez é um problema que vai além das relações sentimentais.

Há, por exemplo, quem seja tímido para socializar no trabalho e acaba passando uma imagem que não é pretendida, afinal, como você pode explicar para quem não te conhece que você é mais fechado porque é tímido?

Não há como conhecer alguém e alertar: “oi, é bom que saiba que eu sou muito tímido, não liga não, tá?”

A timidez é algo tão sério que atrapalha até quando não é sobre o tímido ter iniciativa, ou seja, os tímidos sofrem até quando alguém revela a eles o que sente.

Tímidos sabem muito menos como lidar com elogios, tímidos sabem muito menos como lidar com pessoas interessadas neles, tímidos sabem muito menos identificar quando estão sendo flertados.

Da para entender que é difícil dos dois lados? Em dizer o que sente e em ouvir o que sentem.

Eu quero dar dois recados.

O primeiro é para os não-tímidos: As pessoas não são iguais.

O que é fácil para você não significa ser para o outro.

Tudo pode intimidar alguém, até revelar um sentimento bonito.

A pessoa pode simplesmente não saber como agir, muito menos responder, por mais estranho que isso pareça.

Não julgue a falta de atitudes, converse e seja alguém atencioso.

E entenda: pode ter uma incrível pessoa tímida interessada em você mas sem saber o que fazer para te mostrar isso.

Quanta abertura você dá para esse tipo de coisa?

Agora para os tímidos: Vocês não são piores que ninguém.

A timidez que possuem pode ser transformada numa qualidade.

Explico: uma pessoa tímida tende a ser uma pessoa charmosa – é claro que depende do quanto é.

A timidez pode ser um recurso de sinceridade, de desviar o olhar sim, mas falar a verdade, abrir o coração.

Eu sei que sua timidez já te fez sofrer muito, que você até se pergunta das coisas que teria acontecido se tivesse sido menos tímido, mas talvez seja a hora de você parar de deixar o cérebro comandar 100% das suas ações e deixar o coração tomar um pouco de conta.

Talvez seja a hora de ser um pouco menos racional e mais emocional – assim, do jeitinho que você sabe ser.

O valor maior está na tentativa não nos resultados.

Se a pessoa não quiser você? Tudo bem, outra vai.
Se a pessoa não aceitar seu beijo? Tudo bem, outra vai.
Se a pessoa não responder o que você gostaria? Tudo bem, nem sempre isso acontece mesmo – mas uma hora rola.

A gente sabe que a timidez faz sofrer, mas o que rima com felicidade é a nossa força de vontade.

Você vai sentir o sangue correr mais rápido nas veias quando conseguir tomar a primeira atitude que sua timidez sempre impediu.

Sem esperar resposta.
Sem esperar reciprocidade.
Sem esperar nada.

Uma atitude sua por você.

Teu coração vai bater de uma forma gostosa e teu sono vai ser melhor.

Você vai ser muito mais feliz quando se importar mais em falar o que sente do que no que vão dizer sobre o que você sente. Entende?

Não se cobre, não coloque metas e nem seja quem não é, mas lembre-se: a maior parte da sua felicidade depende de você enfrentar aquilo que te impede de ser feliz, isto é, você mesmo.

Márcio Rodrigues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...