sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O antigo amor, porém, nunca fenece...


O antigo amor, porém, nunca fenece e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.

Mais triste?

Não.

Ele venceu a dor, e resplandece no seu canto obscuro,

tanto mais velho quanto mais amor.

Carlos Drummond de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...