terça-feira, 22 de novembro de 2016

Assim seja meu PAI.


Pai, livra-me das dores existenciais.

Mas, se não for possível, mande-as todas para mim, para que eu me lembre que eu existo.

Livra-me dos bate-bocas banais,
mas se não for possível, mande-os todos baterem em minha porta,
para que eu me lembre que sou capaz de sustentar com esmero e decência meu ponto de vista.

Livra-me das pessoas ofensivas, mas,
se não for possível, deixe que elas me encontrem e me ofendam,
para que eu me lembre a força que tenho quando me defendo.

Livra-me das maledicências, mas,
se não for possível, mande-me a coragem para,
de peito aberto, suportá-las até a passagem do tempo.

Pai, só nunca me livre de mim.

Porque eu preciso, a cada despertar,
saber que eu me tenho e a força divina que me habita,
para encorajar outras pessoas que, assim como eu, desejam ser melhores a cada amanhecer.

Assim seja meu PAI.

[ Cláudia Dornelles ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...