terça-feira, 5 de julho de 2016

Status de relacionamento: SURFISTA


Ei, você aí!

Não se cobre tanto assim.

Essa incerteza que você sente é normal.

Quer escutar um conselho de um surfista que já está há algum tempo no mar?
Então, aí vai!

Só vá para praia quando tiver provado todos os prazeres e dissabores do mar.
Entende o que eu digo?

Encontre o seu grande amor, mas, primeiro, passe um carnaval em Salvador.

Encontre a sua alma gêmea, mas não sem antes conhecer outras por aí.

Como você saberá identificar a pessoa certa, se não conhecer algumas erradas primeiro?

Encontre a sua grande paixão, mas, primeiro, se encontre.

Conheça a ti mesmo para entender do que gosta e do que não gosta.

Para saber do que precisa.
Se é que precisa.

Como você saberá que o doce de leite é o seu favorito se você não provar nenhum outro?

Parece óbvio, mas vale destacar: a pessoa certa chegará na hora certa.
No momento exato!

Quando você estiver preparado.

Quando tiver certeza do que quer.

Quando poderá sentar na areia sem desejar o mar.

E, é claro que, enquanto você ainda estiver surfando, as pessoas irão te gritar lá da areia.

Uns por estarem infelizes e não suportarem te ver assim tão bem.

Outros, porque estão felizes lá e desejam que você fique também.

Talvez porque só consigam enxergar sentido no modo de vida que escolheram.

Tenha calma.
A prancha é sua e você a aposenta quando quiser.

E também não é vergonha nenhuma reconhecer uma escolha errada, abandonar a praia e voltar a surfar.

Entenda!
Nossa missão neste mundo é ser e fazer as pessoas ao nosso redor felizes.

E, se tiver que optar, fique sempre com a primeira opção.

Afinal, sem ela a segunda se torna impossível.

Olha, se você deu a sorte de encontrar a onda ideal ainda cedo, meus parabéns!

O que eu estou tentando é evitar futuras frustrações.

O “e se” dói muito mais que um “que merda que eu fiz.”

Quer saber?
Isso aqui é só um relato de um cara que está muito bem aqui no mar.

Felicidade não possui manual de instruções.

Encontre a sua e depois volte pra me contar.

A gente se vê em uma festa em Ibiza ou em uma fila de pipocas em um cinema qualquer.

Só te adianto que, se for na segunda situação, acho que ainda vai demorar.

Tomara que sim.

Por enquanto eu ainda prefiro o brigadeiro inteiro.

Rafael Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...