quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Aprendiz do Verão


O Verão sorri, o Verão sabe
abraça-me, despudoradamente
e inquieta mente
lenta mente
gentil mente
amorosamente,
aquece a areia em que me entrego

O Verão desnuda a dúvida.
Exímio, faz dançar a pele nua
salga o tempo, eterniza os dias
espalha as memórias com brisa
diz à lua para esperar e ao sol pra se demorar
arrasta-me com seus dedos quentes
devasta-me com a língua lisa e morna
abre em mim mil sorrisos, portas, pernas
e faz jorrar meus olhos de luz

Ao longo do ano eu o espero
saudosa, desaprendida
concubina despida
e é quando me percebe rendida
que arma a despedida:
sua última carícia já chega fria,

e prepara-me para a queda*


Um lugar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...