sábado, 23 de janeiro de 2016

Amar é aprender a brincar sozinho


Soube que você finalmente encontrou a felicidade e eu até que fiquei feliz por você também.

Talvez tenha encontrado um outro amor, alguém perfeito aos seus olhos, sem todos aqueles defeitos que você via em mim e que te faziam tão mal.

Talvez você esteja realizando com ela tudo aquilo que eu sonhava realizar com você e talvez todo o amor que você nunca conseguiu sentir por mim tenha sido direcionado a ela.

Fico feliz por isso também, por finalmente conseguir amar alguém sem barreiras, amarras ou restrições.

Sabe, eu até queria te dizer que também fiquei bem, que encontrei a felicidade nos braços de um novo amor, mas a verdade é que nem se você vivesse mil vidas, poderia imaginar o tamanho do estrago que a sua partida causou aqui dentro.

Você disse que não demos certo porque você era criança demais para entender as engrenagens de um relacionamento, quando a verdade é que você nunca teve coragem de admitir que jamais me amou de verdade e que nessa história eu fui apenas mais uma das suas brincadeiras infantis.

Apenas uma aposta boba com os amigos ou um brinquedo deixado de lado quando surge alguma novidade ou alguém mais interessante pra brincar.

Dizem que amar é aprender a brincar sozinho, eu aprendi do jeito mais difícil.

Infantilidade é a desculpa que todo mundo dá quando não quer assumir a sua parte da culpa e encarar a realidade.

A verdade é que as crianças sabem muito mais sobre o amor do que nós que nos julgamos tão maduros, mas que sempre confundimos um sentimento tão puro e simples com egoísmo e vaidade.

Eu, na minha ingenuidade, só esperava reciprocidade enquanto você esperava que eu enxergasse por trás das suas barreiras, que eram muito altas e intransponíveis para uma pessoa que sempre teve medo de altura mas que, ainda assim, teve coragem de ir no ponto mais alto por você.

Infelizmente em mim você só via os defeitos, que estavam muito aquém de qualquer qualidade e que eram sempre vistos como clichês bobos e sem originalidade.

Desculpa amor, mas se eu não vi foi por conta dos quase três graus de miopia.

Acho que o meu maior erro foi alimentar meus sentimentos com esperança, enquanto você alimentava os seus com desapego.

A forma como alimentamos nossos sentimentos é que define o futuro dos nossos relacionamentos e se eles serão duradouros ou não.

É isso que nos diferencia e que define como vamos conduzi-los e também como vamos encarar o fim que é sempre tão desigual nessa maldita brincadeira.

Dizem que amar é aprender a brincar sozinho e esperar que alguém sente do seu lado pra fazer companhia.

Ouvi dizer que você encontrou a felicidade e eu até que fiquei feliz por você também.

Afinal, alguém tinha que sair bem dessa história e definitivamente esse alguém não fui eu.

Sinceramente, eu só espero que você tenha aprendido a lição e tenha parado de brincar com cada coração que você tem na mão.

Eu que nunca soube brincar com os sentimentos alheios, acabei abandonado e esquecido no playground.



Carla Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...