terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Passe livre


Por mais que não admita, todo mundo tem um certo alguém que faz com que as suas pernas tremam.

Entendem do que estou falando?

Aquela pessoa que tem um passe livre na sua vida.

Aquela que, por mais que o tempo passe, por mais que tudo mude, sempre será aquele ponto de interrogação.

Aquela que você já tentou odiar por muitas vezes.

Que você já fez de tudo para tentar esquecer, para dizer que tanto faz.

Acredito que todo mundo tenha alguém assim.

Alguém que, se algum dia, seja quando for, aparecer do nada e disser:

“Oi! Tudo bem? Chega de saudade. Dessa vez eu vim pra ficar”, irá fazer o seu coração sair pela boca.

Mesmo que a resposta seja não.

Mesmo que a sua vida tenha tomado um outro rumo e que não seja mais possível voltar atrás.

Aquela pessoa sempre será o seu ponto fraco.

O seu calcanhar de Aquiles.

O suspiro em uma tarde chuvosa.

Aquela foto escondida no fundo da gaveta.

A crise de ciúmes do seu novo amor.

A sua lembrança quando os dias difíceis vierem te visitar.

Talvez porque você não teve a chance de viver o suficiente para que os problemas acontecessem.

Ou então porque fez questão de apagar tudo de ruim e tentar lembrar só das partes boas.

O fato é que, enquanto você existir, enquanto o seu coração tiver uma porta, essa pessoa terá a chave.

Ou simplesmente a encontrará escancarada.

Portas abertas para quem um dia se negou a ficar.

E onde está a maturidade emocional para evitar que isso aconteça?

E cadê o seu poder de escolha para entregar essa chave para alguém que realmente a mereça?

Na realidade, você nunca mudou a fechadura porque queria que a possibilidade do retorno continuasse viva.

Você já imaginou tantas vezes aquele final feliz que ele já faz parte de você.

E agora é conviver com essa dúvida aí dentro.

Você vai passar o resto da vida imaginando como poderia ter sido ou sonhando com uma reviravolta milagrosa.

Bem, o que eu tenho para te dizer é que, talvez, essa pessoa não seja tão única o quanto você imagina.

A verdade é que você não conseguiu ainda amar outra pessoa como a amou, não só por méritos dela, mas também por limitações suas.

Porque a pessoa que se encantou por ela deixou de existir.

Porque você nunca mais se entregou da mesma forma.

Um coração despedaçado jamais voltará a bater como antes.

E agora o que te resta é aprender a conviver com esses lapsos de saudade.

E acreditar que alguém um dia ainda vai chegar e apagar todo o resto.

E lá vai você tentando acreditar novamente.

Rafael Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...