terça-feira, 22 de setembro de 2015

Eu já estive pior


É um passo por dia. Um dia passado.
Não adianta eu querer acelerar as coisas.
Já acelero o bastante tudo o que tem velocidade certa para acontecer.
Um dia eu já disse que amava sem ter certeza, já disse que não queria mais e me arrependi na segunda vez que pensei.
Tudo isso só para exemplificar.

Se eu pudesse escolher pularia para aquela fase da vida em que coisas já dão certo.
Quem não gostaria?
Se fosse possível, quem não escolheria evitar sofrer?

Não existe dor boa mas existe dor que a gente precisa sentir.

É mastigando o fim que a gente lembra como é bom o sabor do começo.

Eu devo admitir que ainda não me sinto tão bem como eu gostaria, mas já estive pior.
E mais valioso do que reconhecer o quanto dói é lembrar o quanto já doeu.
Já houve dias em que eu não quis levantar.
Eu já quis morar na minha cama só para não ter que enfrentar a vida lá fora e a falta que você fazia em mim.
Já foi tão mais difícil do que tem sido.

Um pouquinho por dia eu vou encaixando a sua existência na minha vida. Vou mentir se disser que vou te esquecer, mas no fim eu nem quero mesmo. Gosto das coisas que vivemos e da parte boa que conheci em mim ao te conhecer, mas já que o mundo girou dessa forma eu vou encontrar um jeito de deixar em uma das voltas que ele dá.

Eu já estive pior.
Meus amigos já não me aguentavam mais ouvir falar de você.
Já te escrevi coisas que hesitei em enviar.
Houve uma época que eu visitava seus perfis nas redes sociais só para saber o que estava vivendo. Tudo isso só começou a mudar quando eu comecei a mudar.
Foi te vendo viver bem sem mim que eu percebi que você foi uma bonita paisagem nessa viagem que é a vida.
Comecei a perceber o tempo que eu perdia lamentando a saudade da sua companhia e enquanto isso lá estava você: com outras risadas para acompanhar a sua.
Hoje não te acompanho mais e passei a acompanhar mais o que desejo para mim.

É por isso que eu já estive pior.
Porque eu já pensei que, pasme, não conseguiria mais viver sem você.
Era um pensamento que te colocava a frente da minha própria felicidade, que relacionava a minha felicidade ao fato de te ter e é aí que estava o problema: a felicidade não está no “eu também” depois de um “eu te amo” ou durante o “desliga você primeiro” numa ligação.

A felicidade está onde eu quiser, existindo ou não alguém comigo.

E da mesma forma como eu já estive pior é a que eu vou ficar melhor.
É um passo por dia. Um dia passado.
Hoje com alguém, amanhã sem ninguém ao meu lado.
E continua tudo bem.

Márcio Rodrigues



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...